Filhos, mudanças, gastos e os pontos positivos

 

Que filhos nos fazem gastar todos sabem.

Eles fazem um rombo na conta corrente e se por acaso tenha alguma poupança, diga adeus a sua viagem pra Disney, agora você passará a investir em fraldas hipoalérgicas, nos melhores lenços umedecidos e nas mamadeiras antigases. Combinado?

Junto com os filhos vem também cabelos brancos, excesso ou perda de peso que pode variar de acordo com a herança genética ou sua sorte , vem a indignação com certas reportagens chocantes da televisão, o engajamento politico pra poder deixar um futuro melhor ou menos pior como muita gente já anda dizendo.

Para ter um filho, tem que ter muita coragem, pensar racionalmente, trabalhar bastante pra dar uma educação legal, não basta só pagar a escola mais cara, o dinheiro vai, além disso, não basta só ter filho tem que criar, educar, alimentar, vestir, e isso tudo custa caro SIM!

Mas, e quem não pensa? Quem não pesquisa, não planeja, não programa, não deseja ter um filho, mas o destino se encarrega de enviar pela Dona Cegonha um bebe pra um casal estabanado?

Estabanado ou não, maluco ou não, NORMAL ou não, quando se tem um filho a coisa muda.

Ter filho é um ato de amor e coragem, quando esse não é planejado, aquele momento de abrir o envelope e ver a sentença é marcante pra qualquer um que não o queira. É uma mistura de orgulho por ser capaz de gerar a vida, medo de perder a juventude, aflição, pavor, alegria, é um ‘gelo’ infinito na barriga.

Digo que é um ato de coragem, porque, não é fácil e ninguém disse que seria, criar um filho. É uma atitude que escolhemos por nos, pelo companheiro, pelo ser que esta se formando. E o ato de amor é autoexplicativo, né?

Falando como mãe, eu posso afirmar com conhecimento de causa que querendo ou não desse momento em diante você será outra pessoa, e é ai que entra o que eu realmente queria dizer e estou enrolando ate agora nem sei por quê.

A vida muda, mas não muda só pra pior. Muita gente só destaca o lado ruim: os gastos, a falta de cumplicidade entre os pais, os saltos de crescimento onde o bebe fofo fica chato do nada, a adolescência dos dois anos, as cólicas, as noites mal dormidas, o desgaste do relacionamento, as baladas e drinks cada vez mais raros e sua vida acabando.

Mas não é só isso, logico que um pouco disso tudo é verdade, mas tem coisas que só acontecem se a gente deixar.

O desenvolvimento do bebê é coisa séria e é muito importante saber o que esperar, já que essas coisinhas fofas, choronas e babonas não vêm com manual. Mas o que muita gente faz é dramatizar de mais, ao invés de buscar informação com pediatra, vai buscar com a vizinha fofoqueira e barraqueira, em sites sem nenhuma fonte confiável, etc.

Bebes não vem com manual, mas toda mãe têm instinto, TODA mãe têm, sem exceção de classe social, cor ou religião. Claro que isso não quer dizer que, assim que aquele pacotinho lindo chorar você imediatamente saberá o que fazer, nem quando seu bebe bonzinho armar AQUELE escândalo no supermercado, você agirá como a super nanny que existe ai dentro. NÃO. Ninguém é tão robô assim, mães também explodem, tem sentimentos e tpm – óóó!

Sua vida vai mudar, você não vai mais ficar indiferente aos acidentes protagonizados por pessoas alcoolizadas no volante, não tem como não ficar vulnerável diante de noticias diárias de bebes doentes ou abandonados, me diz como não se revoltar contra o sistema? Ter vontade de mudar o mundo diante de tantas falcatruas políticas? É impossível não pensar que tudo isso faz parte da vivência que seu filho esta trazendo consigo, este mundo louco precisa mesmo continuar tão materialista, consumista, apressado…

A mulher que antes se importava tanto com roupa da moda, não ligava em beber refrigerante e não deixava de ir uma semana se quer no salão de beleza, trocará com certeza tudo isso por uma tarde no parque com seu filho, trocará seus melhores anos da juventude pra poder aproveitar mais tempo aquele momento lindo quando conheceu seu amor maior.

Quando a gente se torna mãe, o mundo muda junto, as coisas pequenas perdem importância. Pra que ficar esquentando a cabeça com o que os outros pensam de mim se enquanto isso eu posso lutar por uma causa? Seja por um parto digno, a consciência ecológica e sustentável ou mostrar pra todo mundo os políticos ficha suja pra não serem eleitos e estragarem mais ainda o futuro do nosso bem maior.

A vida antes de ter um filho é tão distante, parece que minha vida começou assim que Maria Clara nasceu, e de certa forma ate pode ser, afinal eu nasci como mãe.

Já cansei de dizer aqui, não tem porque esconder, eu não planejei minha filha, senti todos os sentimentos possíveis desde pavor à extrema alegria quando descobri que seria mãe. Quero dizer pra ela tudo isso, ela com certeza saberá que não foi planejada, mas é e sempre será amada por nós.

Somos  companheiros, cumplices, somos marido e mulher, e os melhores pais que ela pode ter, somos os melhores pra ela, assim como ela é a melhor pra nós.

Ter um filho não tem só lados ruins, pontos negativos, ter um filho transformou o mundo pra mim, eu tenho um pouco mais de esperança desde que ela veio pra nós.

Talvez se eu tivesse pensado muito, pesquisado de mais e me preocupasse tanto no ‘depois’ eu não viveria com tanta intensidade essa aventura maravilhosa.

Com certeza seria tudo diferente, mas acredito que tudo tem hora certa, e essa era nossa hora, o momento dela vir pra nós e não poderia ser melhor.

E pra vocês como foi? Como é ser mãe/pai?

 

Quando tudo começou.

 

Anúncios