Da série: coisas que nem todo mundo quer saber , mas que as mães gostam de contar:

Madrugada intensa com o bebê acordado e carente.
– Mamããe, manhêê, não ké mimi, buááááá
Papai entra no quarto do nenê:
– Maria Clara vc precisa dormir pro papai e mamae descansar.
Ah! ela ta molhada Tau, vou trocar ela
Bebê sendo trocado analisando suas ‘paRTE’
– O Pepi, papai, a pepi neneeem (essa ultima parte acresente 10 doses de empolgação)

e eu vos pergunto: e agora dotô? o que eu faço? —- linha de raciocinio se quem tem pipi é menino, entao menina tem… pipinha (o feminino de pipi,  lógico).
Isso foi minha mãe GÊNIA, descobriu quando eu a fiz passar muita vergonha em onibus, centro da cidade, rodinha de amigos e familia, fazendo a fatidica pergunta.
eu so nao imaginaria que minha filha com 1 ano e 9 meses, iria por si só descobrir isso. GÊNIA²!?

Conclusão 1: minha filha é mais esperta do que eu.
Conclusão 2: ela esta crescendo mais rapido do que imaginei.
Conclusão 3: eu achei que esse momento alem de dmorar mais , nao seria tao natural como foi.
Conclusão 4: quando a gente é mãe, se transforma em seres bobos, babões e espontaneos (pra responder pros filhotes com a mesma rapides e naturalidade, suas perguntas cabeludas.)

Agradecimentos:
Mãe, por ser uma gênia mil e facilitar meus dias 🙂

 

DSC02798

Anúncios

Feriado prolongado e altas aventuras.

Já faz um tempo que não escrevo. Bom, apesar de não termos emendado a sexta e a segunda-feira, foi um baita feriadão.

Tive a impressão de ter passado por uns 3 domingos: na quinta, domingo e na terça, ou seja, hoje pra mim é segunda-feira. Oh céus nem eu to entendendo mais!

Enfim, confusões “datísticas” a parte, vamos ao resumão do feriadão:

Como eu já tinha dito NESSE POST, passei por um feriado bem intenso no dia da proclamação, certo?

Mesmo com todo o stress do dia anterior eu resolvi levar a pequena nessa pracinha de novo, não tinha ninguém lá no play só uns caras correndo e pra minha surpresa e vergonha quando os moçoilos passam pela pracinha a MC sai correndo atrás gritando: ‘papai papai’ para um completo estranho.

Gente, quando alguém te avisar que filho faz passar vergonha ACREDITE! Eles fazem mesmo, o rapaz simpático ainda por cima passou de novo ali e brincou com ela, me senti “A mãe que vai pra pracinha procurar um papai pra filhinha dela”. Exagero?

Vergonhas a parte, chegou o final de semana e com ele a bagunça de um bebe e um marido que solta bem de manhã a seguinte frase: – A bagunça não vai fugir, vamos deixar tudo assim!(jogando a colcha por cima de roupa suja, travesseiro pro lado e pijama embolado pra outro). Como se não bastasse falar isso na frente da pequena os dois foram ate o quarto dela pegaram o lego, boneca, bichinho de pelúcia, baú e trouxeram para o MEIO da sala e espalharam tudo , com direito a : – êêêê incá!(brincar). Gente, minha sala não é grande, pense em uma pessoa tendo que literalmente pular pra poder andar, esse era o estado da minha sala.

Não me importo tanto com a bagunça em si, o que eu não suporto é sujeira e louça na pia pra lavar…Levei na esportiva ate quando a Lála começou a ficar estressada com tanta bagunça também, nem ela sabia com o que brincar, era controle de vídeo game, lego,boneca, cadeira de papá, tudo misturado, não tem quem aguente , né?

Enfim, pedi pro marido cuidar da pequena e fui resolver uma coisa, quando volto me deparo com minha filha pintada, borrada e melecada com meu batom novo.

Surto agora ou daqui a 5 minutos? MC com toda sua inocência nos olha e diz: – Tom(batom), que linda! Tem como brigar com um ser gostoso desses? Respondo:  NÃO…

Bom, o feriado foi longo, cansativo e proveitoso também: fomos tirar sangue da pequena para uns exames que o pediatra pediu, tentamos fazer o de urina, mas não rolou (quem tem bebê sabe o quanto é CHATO fazer exame de urina em bebes , principalmente em meninas), minha mãe veio pra Campinas e fomos passear sozinhas enquanto MC ficou o dia todo com o papai, pedi pra minha avó cozinhar feijão pra nós ( porque o meu é uma negação) e eu trouxe um montão de feijão de vó pra casa, eu e marido tomamos sorvete e um monte de ‘porcarias’ com a pequena, ela está feliz e isso é o que importa!

Cansei, chorei, dei muita risada, Maria Clara aprendeu palavras novas, cores e a trazer a boneca Antonieta ou a Galinha pintadinha pra brincar de ciranda com a gente, comeu acerola do vizinho com o papai, tentei montar a arvore de natal com ela e com o marido mas a tentativa foi muito fail com direito a MC pegando as bolas da arvore colocando na boca e saindo correndo, marido pegando um enfeite qualquer e enfiando na arvore de qualquer jeito e eu ali, toda empolgada tentando resgatar o espírito natalino. Deixa pro ano que vem, né?

Aqui aconteceu tanta coisa que não consigo nem lembrar e também, se for contar tudo ninguém termina de ler!

É isso, e por ai?

Como estão os preparativos de natal? Como foi o feriado?

O resultado da make dela!

Nossa arvorezinha e as luzinhas verdes

Papai reserva.

Desde a primeira boneca que a delicinha ganhou, ainda na barriga, eu já colocava nome nos brinquedos e é assim até hoje.

Temos a Julieta, Antonieta, Marieta, ( não, não temos outra boneca que tem o nome terminado em ‘eta’), enfim colocamos nome em todos os brinquedos dela desde as bonecas ate o jacaré Jão, ou a madelaine- o gatinho de porta dela que eu fiz :).

O fato é que isso veio naturalmente, sem eu forçar a MC a chamar os brinquedos pelo nome. Lógico que a gente ensina o que é o urso, o cachorro, a galinha, a boneca, etc. mas muitos, se não pelo menos as bonecas, ela chama pelo nome, principalmente a Antonieta que foi uma das primeiras.

Sempre achamos fofo esse costume dela, mas de uns tempos pra cá eu notei que ela mesma tem dado nome a alguns brinquedos.

O mais fofo de todos é o ‘papai’, sim ela tem um boneco tipo esses bonequinhos de ação, que ela chama de papai.

Hoje estávamos brincando com as bonecas e ela pegou o bonequinho de dentro do baú.

Ela tinha feito uma das filhas dela dormir, estava cochichando me avisando que a Estela tinha mimido e em seguida pegou o ‘papai’ e começou a cantar pra ele mimir tb.

“Nana papai, nana nenê papai”. Eu não sei ate agora se choro, se dou risada, se aperto e esmago a delicinha, enfim…

Isso quando ela coloca o papai na casinha de boneca dela e da chá pra ele e pra Antonieta. É o maximo!

Fato é: fiquei #chatiada, por que perguntei: ‘Cadê a mamãe?’ E ela não fez nada, não tem nem uma bonequinha pra me representar rsrs.

E vocês? Seus nenéns delicia tem algum brinquedo de estimação ou um nome engraçado?

O original 🙂

O feriado e os machucados.

 

 

Mara Clara não está tendo um bom final de semana prolongado. 😦

Bom, vamos aos planos e aos fatos. Primeiro que eu estava pensando em levar a delicinha pra nadar -quase uma aula de natação- aí a vovó ia vir nos visitar (EBA!), planejei também fazer uns chup-chup’s, sorvete caseiro e passear bastante no feriadão com o papai. Só que não rolou quase nada.

A vovó veio nos visitar na quarta feira, fomos buscá-la e depois viemos pra casa pra tomar o chup-chup de suco de morango natural que eu tinha feito mais cedo.

No final da tarde fomos levar a vovó pra casa da Bisa e o primo dela tava lá, foram brincar e a MC caiu e ralou o cotovelo e o joelho. Chorou , chorou , falou: – Dodói ai, ó lá dodói. Brigava muito com o chão, assoprava e dava beijo no braço pra ‘sarar’ o próprio dodói. rsrs

Na quinta feira ela não quis almoçar e tava espirrando bastante, mas continuava brincando normalmente então não desconfiei de nada. Enquanto estávamos almoçando ela pediu pra ‘mimir’ e eu coloquei.

À tarde a vovó foi acordar a pequena e viu que ela tava meio quente, medimos a temperatura e: 38.1!

Ok, nada de pânico, vamos controlando a temperatura não precisa dar remédio ainda, afinal ela ainda estava ativa e brincando apesar de não querer mamar de novo.

Fomos deixar a vovó na casa da Bisa e de repente, mas de repente MESMO ela desabou, ficou mole, olho brilhando, deitou no sofá e lá ficou por um bom tempo, o que geralmente não rola, fui medir a temperatura de novo: 38.8. Vamos começar a nos preocupar?

Liguei pro marido e pedi pra ele levar umas coisas pra fazer uma sopa reforçada pra ela e também uma água de coco pra hidratar.

Chegando em casa ela já deitou no sofá de novo e ficou ali, toda amoada, quietinha,sem reação, medi a temperatura mais uma vez e: 38.1. Hum, está abaixando, viva!

Marido chegou e fui preparar a comida enquanto o papai cuidava da pequena, terminei tudo e ela comeu um pratão de sopa! Coração de mãe foi ficando mais tranquilo…

Na sexta iríamos sair de manhã cedo e encontrar a vovó de novo e depois levá-la pra rodoviária pra ir embora. Acordamos cedinho e de repente escuto um choro de dor e o marido vindo em direção a mim dizendo: Maria Clara queimou a mão na água quente.

A febre volta, ela chora sem parar e eu surtando de nervoso.

Ela ficava: – Ai, dodói (e mostrava  a mão e o cotovelo – um machucado em cada braço). Era só lembrar da mão que ela berrava, também não era pra menos né?!

Bom, conseguimos sair de casa, mas fui com a MC no banco de trás do carro e ela dando a mãozinha pra eu assoprar, coisa fofa!

Encontramos a vovó e logo a delicinha esqueceu da mão ardendo, mas não esquecia do dodói do braço, porque toda hora ela falava: – dodói ó lá! E dava um beijo pra sarar.

Quando fomos levar a vovó na rodoviária ela falou tchau, mas ficou triste e ficava com o celular na mão falando: vovó, vovóó!

Chegando em casa ela queria muito dormir então fui dar um banho e quando tirei a MC ela saiu correndo pelada , eu avisei que não era pra correr, fui atrás dela ela saiu correndo ainda mais e PLOFT caiu no chão. Tenso! Mas não machucou, só assustou mesmo.

Bom, o resumo do feriado ate agora: febre que vai e volta, mas não passa dos 38.5 – ainda bem!- um machucado no cotovelo que por sinal é o maior dodói (em tamanho, não gravidade) dela ate hoje, um tombo pelada e uma mão ardendo.

Sou uma ‘ótima’ mãe ou a Maria Clara precisa ser benzida NOW!?

E por ai como está sendo o final de semana?

Espero que até domingo as coisas tenham melhorado por aqui e eu consiga levar a pequena pra nadar e passear com o papai!

Torçam por nós.

Beijos

O dodói.

Dia das crianças e os presentes.

 

Esse é o segundo dia das crianças, fora da barriga, da Maria Clara.

Ela sempre ganha presente dos avós, madrinha, até da empresa que o marido trabalha.

Mas eu penso todo ano se é bom ou não estimular esse consumismo ou se há a necessidade de dar um brinquedo.

Sempre ganhei presente em aniversario, dia das crianças e natal, só. Claro que vez ou outra tinham uns presentinhos, mas nessas datas eram os presentes mais ‘esperados’, eu pedia e meus pais diziam: – No natal a gente dá. E sempre davam a espera, a ansiedade era muito gostosa. E não era uma coisa exagerada, meus pais nunca  tentaram suprir qualquer ausência ou culpa com presentes, mesmo porque, posso afirmar que tive uma infância legal, com meus pais sempre presentes e tal.

Quero ensinar pra minha filha, que presentes tem data certa, não é qualquer passeio no shopping que eu vou comprar uma ‘Little mommy’ ou uma Barbie, ou sei lá o que.

Mas será que eu preciso ensinar desde cedo, com 1 ano e meio, que o dia das crianças TÊM que ter presente? Acho que não.

Primeiro que entre brinquedos eletrônicos e aqueles de madeira feito por um artesão velhinho e fofo, eu prefiro mil vezes a segunda opção. E outra, tenho a impressão que se um bebê não tem os melhores brinquedos e chocalhos ele não é legal, quase um time da pracinha, onde os que têm menos não podem participar logo as mães também não podem se enturmar na conversa das outras mães super antenadas que dão bugigangas pros filhos a cada ‘boa ação’ que eles fazem; prefiro, então, ficar de fora e observar chocada como essas pessoas ‘educam’ suas crias.

Como pedagoga, já passei por algumas experiências não muito legais, como presenciar a cena de uma mãe presenteando o filho TODA SEMANA com um brinquedo, mas não um simples brinquedo, O brinquedo. E a criança esperava aquilo dos pais, se não rolasse o presente naquela semana a criança surtava! E tudo isso por quê? Culpa ausência, e consumismo descarado.

Não podemos esquecer que a televisão influencia de mais! Por isso eu não deixo  a Maria Clara assistir qualquer canal de tevê, ou é DVD ou Tv Cultura que não tem muito comercial de brinquedo. Sou chata? Antiquada? Prefiro ser a virar escrava da minha própria filha.

Sinceramente não acho que minha filha vai ser mais feliz se ganhar mil presentes no dia das crianças, eu como mãe, prefiro leva-la num parque, ou tomar sorvete, ver um teatro, ou uma exposição do que encher a casa de brinquedos que ela vai enjoar em 5 minutos.

Deixa então pros avós, tios, amigos, madrinhas, darem os presentes, eu vou ficar aqui com a consciência tranquila sabendo que pelo menos por enquanto eu não vou estimular um consumismo desenfreado nela.

Um saldo inicial do segundo dia das crianças da Maria Clara é:

Ela acordou, ganhou um brinquedo que a empresa do marido mandou, já tem uns livros com a vovó que vai entregar daqui alguns dias porque não esta na cidade, um presente de uma das madrinhas e só!

Se ela esta triste? NÃO, ela ficou bem empolgada com o presentinho que ganhou de manhã, mas  já largou de lado e foi brincar com a melhor amiga dela – a galinha pintadinha, esse talvez tenha sido um dos presentes que ela mais curtiu , porque não larga NUNCA!

À tarde iremos passear ver teatro e comer guloseimas – SIM! Mãe Louca? Não! Hoje pode 😉

Tiramos o dia para ela, vamos brincar passear, ficar sentados no chão com ela, eu o papai e Maria Clara, e quer saber? Não podia ser melhor!!!

Um ótimo dia das crianças pra todo mundo.

 

 

Maria Clara e a galinha