Um pouco de amor, orgulho e saudades

Vi esse video hoje e mesmo sendo a parte coadjuvante da historia – a mãe – me vejo muuuito nisso, mas como filha.

Quero que minha filha tenha tanto orgulho do pai dela como eu tenho do meu.

O pai da Maria Clara nao poderia ser melhor pra ela e pra mim um marido incrivel também.

Nosso príncipe.

dedicado aos amores da minha vida: Meu pai e o pai da minha filha ♥

amo vocês!!!

Anúncios

Aprender com ela é muito bom!

Fazendo um balanço geral desde quando descobri que ela estava ali, crescendo dentro de mim e todas aquelas emoções que eu nunca tinha sentido, desde medo ate a ansiedade de saber se estava tudo bem, segurar ela nos meus braços. Nossa!

Tanta coisa passou, tanta coisa aconteceu que eu achei que seria pra sempre, mas tudo sempre passa, sempre melhora. “tudo fica bem, se não está é porque não chegou ao final”. Clichê de mais né? Mas tenho certeza que algumas pessoas irão entender… São pequenas coisas que marcam tanto a gente né?

Tenho muita sorte de ter encontrado um pai maravilhoso pra minha filha, que aprende, erra, acerta, chora e ri junto comigo. Que curte e teme cada avanço no desenvolvimento da Maria Clara; temer sim porque tenho aquela sensação ‘meu bebe está crescendo!’ bate um frio na barriga misturado com uma sensação de dever cumprido.

Eu adoro criança, visto pela profissão que escolhi que, como todos sabem, não é a melhor remunerada, mas enfim a questão é que quando o filho é nosso a gente acha lindo ate quando faz manha. Várias vezes eu e o marido dizemos um pro outro “se não fosse nossa filha acharíamos tão lindo isso?”. Não, não acharíamos, provavelmente seria um saco ficar ouvindo tanto bla bla bla de pai e mãe babão, tipo meu “toda criança faz isso, parem de ser chatos!”. Mas a gente nunca se cansa.

Já perdi as contas de quantas vezes fomos nos deitar e o assunto era ela, aquela conversa antes de dormir, deitados, tipo “você viu o que ela fez hoje? Viu que fofo o que ela falou? Como será que vai ser quando ela tiver que ir pra escola?”.

E eu me sinto mega feliz com isso porque, como disse varias vezes a MC chegou assim, de repente, no susto. E apesar de não desistir dela, de encarar essa ‘bomba’, nós tínhamos medo de falhar, logico!

Claro que erramos em muitas coisas, também fico pensando que deveria ter aproveitado mais a gestação e tal, mas no mais o saldo positivo é grande, estou feliz com o trabalho que estamos fazendo juntos, eu, o marido e a Maria Clara. Agora somos uma família, agora entendo o peso e a responsabilidade disso e principalmente os prazeres disso!

Quero ter bastante saúde e disposição pra crescer junto da Maria Clara, depois que ela nasceu é que tive mais convicção que nunca, que um bebe pode nos ensinar muito. Porque foi com ela que aprendi a abrir mão de tanta coisa, a valorizar mais as pessoas, meus pais, a família. Foi com ela que aprendi que o gostoso mesmo é se jogar, viver intensamente cada segundo, porque a vida passa tão rápido, não quero ter tempo de me arrepender. Quero errar com a cabeça erguida e ter a dignidade de admitir que eu não preciso ser super heroína, que eu não sei de tudo, não posso fazer tudo sozinha e que eu dependo dela tanto quanto ela depende de mim…

Hoje eu sou outra pessoa, cresci, aprendi a relevar muita coisa, tenho minha paciência testada todos os dias e constatei que meu pavio esta mais comprido rsrs.

Faz dois anos que minha vida mudou, virou de cabeça pra baixo, que pegamos no tranco literalmente. E sabe? Acho que era isso mesmo que eu precisava: um susto, um tranco pra entender que a vida é muito mais que baladas sem destino e bebidas. (não que de vez em quando eu necessite muito disso!)

Hoje minha filha me fez gostar de passar horas sentadas no chão brincando de bonecas, e quer saber? Eu tô amando isso!

a razão ♥

Confissões de uma mãe em crise.

Sabe aqueles dias em que você no seu subconsciente luta, se policia, tenta medir todas as palavras, gestos e atitudes diante do seu filho? Pois é nesse final de semana eu fui contra tudo isso. TPM é fogo, no final de semana com o papai da nenê em casa a coisa tende a piorar e pra ajudar a pequena estava ligada no 220v.

Não sei se com todo mundo é assim, mas aqui em casa final de semana e papai em casa é dia de festa, nada de regra, é manha e birra pra tudo a fofinha querendo atenção 24hr. Ate de noite ela quer nossa atenção, tem acordado a de uma em uma hora, ISSO MESMO UMA HORA! Pensem numa noite ‘delicinha’ e junte isso a tpm, imagina o humor da mamãe?!

Sempre leio sobre esse universo materno procuro dicas, sugestões e relatos de outras mães, confesso que isso ajuda a entender que não sou a única sortuda a conviver com os altos e baixos do comportamento dos filhos e que mesmo com todos esses rompantes continuamos amando esses pentelhos.

Mas a questão aqui é como me controlar? Se alguém souber a resposta, por favor, me diga!

Da pra segurar a raiva e a impaciência típicas e deixar rolar? Será que é só comigo que acontece isso?

Parece um complô universal contra mim, a casa fica suja de repente, tipo o saci Pererê vem e desarruma tudo, criança que não obedece, quer desafiar porque sabe que com o papai em casa tudo pode ai a gente tem que cozinhar lavar, passar, dar banho, troca fralda, neném pula no trocador, muda tudo de lugar!!! Gente, na boa, mas tem dias que da vontade de largar tudo e me refugiar num lugar bem quietinho tranquilo e só voltar quando tudo estiver mais calmo, limpo e comportado. Eu amo minha filha, amo meu marido, minha família, mas tem horas que o corpo e a mente cansam, pedem uma trégua. Mas vida de mãe não é bem assim, é 365 dias, 24h por dia sem férias e nenhuma regalia, é bom, muito bom, mas as vezes a única coisa que eu preciso é de um pouco de paz …

Pronto desabafei agora coragem pra arrumar a casa, fazer o jantar, esperar marido que recomeça faculdade hoje, fazer o nenê dormir uma hora mais tarde pra tentar dormir melhor e enfim poder descansar…