A Viagem e as listas

A fatídica noticia chegou!

O marido disse “Arrume tudo, vamos viajar semana que vem”.

Desespero tomando conta do ser humano aqui.

Não que eu não curta viajar com minha fofinha, afinal meus pais e a família inteira do marido moram em outra cidade. É vida dura, cada família em uma cidade, às vezes bate aquela sensação ‘forever alone’ sem as avós da Maria Clara aqui… Mas enfim, esse não é o assunto pra esse post.

Mas então, não que eu não curta levar a baixinha pra visitar as famílias e não se esquecer da cara deles, o fato é que viajar com bebês é uma árdua tarefa. É muita coisa pra lembrar, e não significa descanso pra mamãe aqui, já que vou ter q passar horas cozinhando e vigiando a criança né? (Dramática? Não!)

Bom, o lado bom é que o aviso veio com antecedência e não de supetão como nas outras vezes; sim pirei todas as outras.

Bom, levanto em consideração que não lavei roupa por causa desse tempo seco que deixa  tudo com cheiro  defumado parecendo que passei roupa na churrasqueira, logico que as deram cria na maquina. Ou seja, desespero né… A criança não tem roupa pra levar, pelo menos não limpas.

Esse meu final de semana vai ser uma delicinha, só que não. Lavar e passar todas as roupas e já começar a surtar com o que ela vai comer fora. Ah tudo bem ela come de tudo, quer dizer, quase tudo, não tenho muita neura com ela do tipo “não come comida de ninguém”  ou “só coisa natural” , mas tem certo sistema, não pode ser qualquer textura, nem tempeiro de mais, uma ciência MESMO.

Outro fato: As listas. Sim, eu faço listas, muitas listas e já comecei a fazer a pequena lista de coisas pra levar, a única certeza que temos é: 95% do porta malas são pras coisas dela.

Berço, carrinho, cadeira de comer, mala de roupa, malinha de higiene, as verduras e frutas dela, banheira e suporte, roupa de cama, almofada e travesseiro, é ela é meio exageradinha pra dormir, puxou a mamãe aqui.

Ah, vendo por esse lado nem é tão ruim, acho que o tenso mesmo vai ser a volta: a casa pra arrumar, roupas em dobro, e a rotina que nunca acaba. Para de reclamar menina!!

Mas o lado bom mesmo é rever o pessoal, ver a pequena brincando com os primos e com a bisa-madrinha, com a vovó e a titia. É o máximo!

E sem falar em rever os amigos, que saudades!

Cenas dos próximos capítulos: “Pirando com a volta pra casa”.

 

Anúncios

A estréia

Oi.

Esse é meu primeiro blog.

Tô nervosa  sim ou claro?!

Esse espaço surgiu ha muito tempo, mas só aqui na minha cabeça e no meu coração..
O desejo de dividir um pouco da minha historia, as experiências e por que não as NEURAS que nasceram no instante em que eu, com 21 anos, no penúltimo ano da  faculdade, morando com meus pais, sem emprego  me descobri GRAVIDA.

Ai meu deus e agora?! Ok, pelo menos um relacionamento eu tinha, quase 5 anos de namoro,  QUE LINDO ♥ .
A primeira coisa que vem na cabeça de uma menina (ok eu me sentia a menininha da mamãe ainda..) era ” Meu Deus o que meus pais vão dizer, o que eles vão pensar, e a família, e os amigos, todo vão me abandonar, me julgar?!” Desespero total ne..

Aos poucos fui amolecendo, criando coragem e além de tudo isso e apesar do susto do primeiro impacto meus pais sempre ficaram do meu lado, e meu ‘maridinho’ também.

Porque eu falei tudo isso mesmo?! Ah tá! As neuras… Me descobri gravida, me descobri mãe, estudante, esposa e dona de casa tudo isso assim ‘BOOM’ de repente…

Mas hoje eu tenho certeza de que esse foi o presente mais lindo, perfeito e delicioso que eu poderia ter recebido!

Me sinto muito realizada como mãe e todas essas outras coisas. Cada dia é um desafio, uma descoberta e claro uma paranoiazinha básica, uma neura de… ‘mãe’

Só quando me descobri mãe é que fui entender tanta coisa. Agora eu entendo a famosa frase  “Isso vai doer mais em mim do que em você” ou ” Ser mãe é padecer no paraíso”, ou simplesmente conhecer e sentir o ‘amor incondicional’

Amo minha filha, minha família mais que tudo nessa vida e sou capaz de tudo por ela!

Longo né? Bom se alguém leu ate aqui, obrigada. E é nesse post imenso que me apresento.

Sou a Tauana, mãe da Maria Clara, esposa do Jardel. Sou mãe, mulher, esposa, filha, pedagoga, dona de casa, trabalhadora e a vida continua!