Autoanálise e desespero materno.

De repente essa comedia romântica que é a maternidade, cheia de percalços, risos, desastres e porque não drama, muito drama me prende numa auto analise muito chata.

Por varias vezes me peguei pensando e analisando minha forma de ser mãe, será que estou fazendo certo?

Dia desses assisti a Super Nanny do Brasil e confesso fiquei um pouco deprê. A culpa veio tudo por me sentir bem em não querer ficar com a minha filha as vezes, por preferir ficar sozinha , ficar sem fazer nada um pouco ou por simplesmente sentir a necessidade de limpar a casa e deixar a pequena vendo desenho.

O tema do episódio da Super Nanny que vi, foi que a mãe não dava muita atenção pros 3 filhos dela porque limpava a casa enlouquecidamente e eu me vi nela. Ok não tão exageradamente, mas eu me peguei numa analise muito inflexível do meu comportamento e do meu jeito de maternar. Mas poxa, eu limpo a casa pra minha filha se sentir bem, num lugar confortável, aprender a viver num lugar limpinho e arrumado, e eu não posso me culpar por isso!

Eu vi que, cada um tem uma rotina, eu não preciso e não posso fazer como a Super Nanny diz, eu sou a mãe da Maria Clara e a melhor mãe PARA ela. Eu não sou mãe de fulano. Eu tentei ate mudar minha rotina, mas no fundo eu pensei: será que isso está valendo a pena??

A nossa rotina em casa é mais ou menos assim:

7:30 – acordar, ver e-mails, tomar café e arrumar a casa (menos o quarto do bebê);

Das 8:00 às 9:30 : lavar a louça do café, deixar no ‘jeito’ o mama da pequena, ver o que fazer pro almoço;

10:00 : bebê acorda, mama, assiste desenho enquanto a mamãe arruma a cama do nenê, passa aspirador e pano na casa;

Das 11:00 às 11:30: mamãe prepara almoço enquanto a pequena brinca ou ‘ajuda’ na cozinha;

11:30: almoço e sobremesa;

12:30: neném mama e dorme;

13:00 às 15:00: enquanto bebê dorme a mamãe lava a louça do almoço, almoça, e relaxa um pouco ( também sou filha de Deus, posso?) ;

15:00: lanche e brincar com Maria Clara;

17:00: fazer a vitamina da neném, arrumar a casa, mandar e-mails etc.;

18:30 : papai chega dá atenção pra criança, jantamos os três, lavamos a louça;

19:00 : papai sai de novo, mamãe e bebê pegam os brinquedos espalhados, banho na delicinha, arruma tudo e brinca na sala;

20:30 / 21:30 : Maria Clara dorme, mamãe descansa;

 

Eu sou a louca da limpeza? NÃO , ne?

Isso é o básico pra sobrevivência da pessoa e eu acredito que se ensinar pra ela a viver num lugar limpo e arrumado isso vá ajudar ela no futuro com : autonomia e organização, disciplina, etc.

Sinceramente eu penso que a televisão ou a mídia em geral exige um padrão de mãe e se você não se encaixa nele não é boa mãe, simples assim. Mas não pode ser isso, cada um tem uma rotina, um ritmo, o que serve pra mim não serve pra vizinha, etc.

Tenho uma amiga que adora passar roupa, eu odeio.

Outra que prefere deixar o filho na escola pra ir passear ou ficar sozinha em casa, eu não quero isso ainda, prefiro ficar com a minha filha em casa se não estou trabalhando.

Há aquelas que só dão coisas naturais pro filho e não deixam sob hipótese alguma comer açúcar ou leite em pó, eu já sou mais ‘mole’ pra isso e as vezes permito umas “porcarias” de leve.

Tem mãe que deixa o filho tranquilamente com outras pessoas, eu fico com o coração na mão e vontade de ligar toda hora.

Tem mãe que prefere que a avó cuide do filho, eu prefiro evitar esse stress por que o filho é meu, a obrigação é minha e do pai, não da avó.

Tem gente que prefere lavar a louça uma vez no dia e deixar acumular, eu não.

Já vi pessoas que limpam mais histericamente que eu ou que simplesmente não limpam por que a criança vai sujar de novo.

Enfim, não só na educação dos filhos, mas em tudo nessa vida, o que serve pra você não necessariamente serve pra mim. Respeito todas as pessoas que tem opiniões e costumes diferentes dos meus, eu posso ate curtir o seu e tentar encaixar na minha rotina, por que não? O que não pode é ser obrigado a seguir esse estereótipo de mãe perfeita que trabalha fora, em casa, cuida de filho, cozinha e ACHA que tem q fazer isso sozinha e tudo bem. Mas não é!

Vamos respeitar o outro, cada um faz da sua vida o que quiser e não cabe a ninguém achar o que é certo ou errado na vida do amiguinho.

Façamos o melhor para nós, e se cada um criar e educar sua prole para ser um SER HUMANO o mundo já vai estar em boas mãos.

Não queira deixar um futuro melhor pros seus filhos, deixe filhos melhores para o futuro, o resto a vida se encarrega.

Minha pequena bagunceira, ou nao.

Anúncios